terça-feira, 29 de setembro de 2009

Lula e Zelaya: uma vergonha para o Brasil

Continua rolando a querela de Honduras. Querela forjada por esquerdistas e seus amiguinhos; por Obama, Chávez, Morales e Lula. Porque querela mesmo não existe nenhuma: Zelaya [foto] é um oportunista que tentou perpetuar-se ilimitadamente no poder, instaurando um regime à la Chávez, e por isso, fazendo valer o artigo 239 da Constituição Hondurenha, a Corte Suprema de Justicia e o Congresso Nacional o depuseram, recorrendo ao Exército para a retirada de Zelaya. Nada mais apropriado; tudo feito dentro da Constituição e para resguardar a liberdade, a democracia hondurenha e proteger o país do totalitarismo - como o que se implantou na venezuela; os hondurenhos não querem um "novo Chávez", desta vez não de boina, mas de chapéu

[
Veja aqui sobre o estudo da Biblioteca do Congresso dos Estados Unidos, que provou ser a deposição de Zelaya legal e legítima].

Não há, pois, querela alguma. Todo esse pretenso golpe, toda essa balbúrdia, foi tudo inventado pelos comunas e seus amiguinhos, tudo criado por suas mentes sórdidas para justificar o totalitarismo de Zelaya. Afinal, quando você olha quem defende Zelaya, dá pra sentir o drama de Honduras: os abortistas Obama e Lula, os totalitaristas Chávez [foto] e Morales, os ditadores Castro de Cuba... "Diz-me com quem tu andas e direi quem tu és".

Mas o povo hondurenho tem resistido e seus representantes têm dado uma demonstração de vigor e bravura aos que, indevidamente, querem interferir em Honduras.

O medo dos esquerdistas latino-americanos é só que ocorra uma "febre hondurenha" - como a "febre haitiana" que houve quando os escravos proclamaram a Independência do Haiti - e então, seguindo o exemplo de Honduras, cada vez mais pessoas resistam às tentativas totalitárias dos governos esquerdistas latino-americanos, especialmente sua sutil pretensão de instaurar aqui a nova URSS, sob o nome de UNASUL [bandeira ao lado; semelhante à bandeira da URSS]. O medo é só esse: que o exemplo da pequena Honduras gere problemas. Por isso, na cabeça deles, Honduras precisa se dobrar; é um "mal exemplo", inconveniente aos esquerdistas latino-americanos.

Honduras precisa muito das nossas orações! Que a Virgem de Guadalupe, padroeira das Américas, interceda por aquele pequeno, porém grandioso, país.

Indignado com as atitudes recentes do nosso Presidente [foto], dando guarida ao totalitarista Zelaya numa embaixada brasileira e ainda fazendo troça da nação hondurenha e de seus legítimos representantes, escrevi uma carta de repúdio ao Presidente da República.

Escrevi também ao Presidente da República de Honduras, Roberto Micheletti, pedindo-lhe desculpas, como brasileiro, pelas lastimáveis atitudes do nosso Presidente, oferecendo a Honduras meu apoio moral e as minhas orações.

Escrevam vocês também. Se desejarem, podem utilizar as mesmas cartas abaixo, apenas mudando a assinatura. Na carta ao Presidente da República do Brasil, não esqueçam de pôr sob a assinatura o número de algum documento de identificação, para que não se pense ser a mesma pessoa mandando várias cartas.

Para o envio da carta de repúdio ao Presidente Lula, pode-se usar o formulário da Presidência aqui; basta seguir os passos.

Para envio da carta de apoio ao Presidente Micheletti [foto abaixo], de Honduras, pode-se usar o formulário da Casa Presidencial de Honduras. A Carta também pode ser enviada à Secretaria da Presidência e à Secretaria de Relações Exteriores, usando o formulário disponível aqui.



Escrevamos prestando o nosso apoio a Honduras e manifestando nosso repúdio às ações e palavras do Presidente Lula.

Seguem as cartas.

***

Carta de Repúdio às ações do Governo Brasileiro em apoio ao Presidente de Honduras deposto, Manuel Zelaya

Excelentíssimo Sr. Presidente da República Federativa do Brasil,
Luís Inácio Lula da Silva,

A Constituição da República Federativa do Brasil, em seu artigo 4º, estabelece que o Brasil rege-se nas suas relações internacionais, entre outros princípios, pelo da autodeterminação dos povos. Na perspectiva do Constitucionalismo, de acordo com Emer Vattel, a auto-determinação das nações se dá pela sua Constituição, através da qual a nação determina soberanamente o que lhe compete.

Senhor Presidente, a nação hondurenha já determinou soberanamente o que quer para si em sua Carta Constitucional. E é nesta Carta Constitucional de Honduras que, no artigo 239, estabelece-se um único mandato para o Presidente e a deposição de quem queira perpetuar-se no cargo: “ARTICULO 239. El ciudadano que haya desempeñado la titularidad del Poder Ejecutivo no podrá ser Presidente o Designado. El que quebrante esta disposición o proponga su reforma, así como aquellos que lo apoyen directa o indirectamente, cesarán de inmediato en el desempeño de sus respectivos cargos, y quedarán inhabilitados por diez años para el ejercicio de toda función pública".

Ora, foi exatamente isto que fez o ex-Presidente Manuel Zelaya, numa jogada de oportunismo, tentando promover modificação deste dispositivo constitucional para perpetuar-se no poder ad infinitum. Pela Constituição de Honduras deveria, pois, o Presidente Manuel Zelaya ser afastado do poder, como efetivamente aconteceu. Assim está na Constituição de Honduras, assim quis a nação hondurenha, assim determinou soberanamente em sua Carta Magna.

Como, pois, contra Honduras e sua Constituição, Vsª Excia. apóia o Sr. Zelaya?

Pergunto-lhe, Senhor Presidente: Vsª Excia. leu o artigo 239 da Constituição de Honduras antes de acusar os representantes legítimos dos povo hondurenho de golpe?

Repudio profundamente o apoio que Vsª Excia. tem prestado ao ex-Presidente Manuel Zelaya. Foi Zelaya que quis passar por cima da Constituição e da vontade soberana do povo hondurenho, expressa em sua Carta Magna, para perpetuar-se de forma oportunista no poder. Zelaya, pois, quis contrariar a Constituição, dar um golpe; é ele o verdadeiro golpista. Felizmente não o permitiu o povo hondurenho!

E que vergonhoso é ver Vsª Excia. apoiando esta tentativa de totalitarismo do Sr. Zelaya. Que vergonhoso ver o nome do Brasil ser manchado ao dar-se guarida a um oportunista totalitarista.

O mais vergonhoso é ver que, com suas atitudes, Vsª Excia. passa por cima da nossa própria Constituição. Pois, ao apoiar e dar guarida ao Sr. Zelaya contra a própria Constituição de Honduras, Vsª Excia desrespeita o que a nação hondurenha determinou para si em sua Carta Magna, desrespeita a autodeterminação dos povos, colimada em nossa Constituição.

Repudio veementemente, como cidadão brasileiro, as ações de Vsª Excelência em apoio a Manuel Zelaya.

Tenho vergonha do que Vsª Excia. tem feito contra o nome do nosso Brasil, contra a nossa Constituição e também a de Honduras, e mais vergonha ainda do desrespeito com que, em nome do Brasil, Vsª Excia. trata a nação hondurenha.

É vergonhoso, Senhor Presidente.

Vsª Excia. deveria pedir desculpas, aos hondurenhos e aos brasileiros.

Atenciosamente,

Taiguara Fernandes de Sousa.
Campina Grande – Paraíba.
RG: (...)

***

Pedido de desculpas e apoio ao povo hondurenho, endereçado ao seu Presidente, Roberto Micheletti

Excelentíssimo Sr. Presidente da República de Honduras,
Roberto Micheletti Baín,

Sou brasileiro nato, da cidade de Campina Grande, Estado da Paraíba. Escrevo-lhe para pedir, como cidadão da República Federativa do Brasil, minhas mais sinceras desculpas pelas lastimáveis ações do Governo Brasileiro, sob a chefia do Presidente Luís Inácio Lula da Silva, em apoio ao Presidente deposto Manuel Zelaya.

Temos consciência, Excelência, de que nada mais podia ser feito com relação ao Sr. Zelaya; para salvaguardar a Constituição de Honduras e fazer valer o seu artigo 239, o Sr. Manuel Zelaya precisava ser deposto, contra seu oportunismo e tentativa de perpetuar-se ad infinitum no poder. Sabemos, apesar das ações tristes do Governo Brasileiro, que o verdadeiro golpista foi Zelaya, e não Vsª Excia. ou a Suprema Corte de Honduras ou qualquer outro legítimo representante do povo hondurenho.

Peço minhas sinceras desculpas, como cidadão brasileiro, e confesso a Vsª Excia. que estou envergonhado diante das atitudes que o Governo de meu país tem tomado, num flagrante desrespeito à democracia e à soberania do povo hondurenho.

Ao mesmo tempo em que peço desculpas, quero prestar-lhe meu apoio: resista, Sr. Presidente. Pela Constituição de Honduras e pela liberdade, resista. Muitos são os lobos que lançam-se contra Honduras nesse momento; as sombras do totalitarismo estão à porta, querendo dominar Honduras e fazer a liberdade sucumbir. Resista, Senhor Presidente. Resista com coragem e vigor.

Será a maior prova de grandiosidade que Honduras poderá dar, o maior exemplo para todos nós, que nos dizemos grandes nações: Honduras não se dobrou perante a intervenção indevida, perante o totalitarismo, perante a maldade; Honduras resistiu com bravura, com coragem.

Reitero minhas desculpas. Reitero o meu apoio.

Mais que isso, agradeço pela demonstração da bravura e virilidade que Vsª Excia., os demais representantes do povo hondurenho e o próprio povo de Honduras têm dado.

Que o povo hondurenho não dê ouvidos aos cães que ladram, mas possa seguir com fidelidade a si mesmo e a sua Constituição.

Perdoe-nos pelos atos e palavras lastimosos do nosso Presidente, o Sr. Luís Inácio Lula da Silva. Perdoe-nos, por favor.

Isto não é o Brasil, Excelência.

O Brasil não é esta caricatura que o Governo Brasileiro está desenhando dele no cenário internacional.

O Brasil não é o seu Presidente.

Torço por Honduras, torço por Vsª Excia. Tenha certeza de que Honduras está em minhas orações.

Atenciosamente,

Taiguara Fernandes de Sousa.
Campina Grande – Paraíba (Brasil).

Nenhum comentário:

Postar um comentário